Cabeceira/PI,  1 de dezembro de 2020
 

11 de julho de 2018 Informações da Postagem: Por Apolo Araújo Imprimir Postagem

Chaga ao fim o sofrimento e desespero dos garotos da Tailândia

O mergulhador finlandês Mikko Paasi divulgou no Facebook fotos que tirou durante o resgate dos 12 meninos e do treinador deles da caverna Tham Luang, na Tailândia. O time de futebol Javalis Selvagens saiu da galeria subterrânea inundada em uma operação que durou três dias e envolveu mais de 1000 pessoas.

Na legenda de uma foto em que aparece com outros colegas, Paasi afirmou: “Aqueles que dizem que algo não pode ser feito não devem interromper aqueles que estão agindo. 13 crianças saíram sãs e salvas!”, comemorou o mergulhador, que era voluntário. A foto, divulgada após o fim do resgate, na terça (10), já foi compartilhada mais de 12 mil vezes.

Garotos resgatados em caverna da Tailândia passam bem

Entre as mais de 1000 pessoas mobilizadas para acompanhar o resgate, 90 eram mergulhadores – 50 estrangeiros e 40 tailandeses. O trabalho desses mergulhadores ao longo dos 17 dias em que os grupo ficou preso na caverna foi fundamental.

Foto de Mikko Paasi mostra preparação para operação de resgate dentro de caverna na Tailândia (Foto: Facebook Mikko Paasi/ Reprodução G1) Foto de Mikko Paasi mostra preparação para operação de resgate dentro de caverna na Tailândia (Foto: Facebook Mikko Paasi/ Reprodução G1)

Foto de Mikko Paasi mostra preparação para operação de resgate dentro de caverna na Tailândia (Foto: Facebook Mikko Paasi/ Reprodução G1)

Foram dois mergulhadores britânicos que encontram o grupo, em 2 de julho, após nove dias de intensas buscas. Os mergulhadores também transportavam comida e de cilindros de oxigênio para o interior da cavidade subterrânea.

Na quinta-feira (5), o mergulhador Saman Kunan, de 38 anos, que levava suprimentos para o grupo, ficou sem oxigênio em uma das missões e morreu. Ele era triatleta e se voluntariou a participar do resgate.

Nesta ocasião, Mikko Paasi, que mora na Tailândia, contou à CNN que o incidente abalou o humor dos socorristas e deu a dimensão do perigo da operação de resgate.

“Definitivamente, você pode sentir que [a morte de Kunan] teve um efeito, mas estamos seguindo em frente. Todo mundo é profissional, então, estamos tentando deixar de lado e evitar que aconteça novamente”, disse.

“Todo mundo está se concentrando em tirar esses garotos – mantê-los vivos ou tirá-los de lá.”

Foto do mergulhador Mikko Paasi (Foto: Faceook Mikko Paasi/ Reprodução G1 ) Foto do mergulhador Mikko Paasi (Foto: Faceook Mikko Paasi/ Reprodução G1 )

Foto do mergulhador Mikko Paasi (Foto: Faceook Mikko Paasi/ Reprodução G1 )

Resgate

A operação de resgate durou três dias. Na terça-feira, foram resgatados os últimos quatro meninos e o técnico, de 25 anos. Foi o terceiro dia de operação para retirar o grupo da caverna e o mais desafiador, porque chovia e havia mais pessoas a serem resgatadas.

Eles estão todos internados no hospital provincial de Chiang Rai, que fica a cerca de 70 km.

Entenda o caso

No dia 23 de junho, 12 meninos de um time de futebol e o técnico faziam um passeio de bicicleta e entraram na caverna para se proteger do mau tempo. A chuva ficou intensa, e a água subiu muito rápido, deixando o grupo preso.

Eles ficaram isolados e sem comida por 9 dias. Em 2 de julho, mergulhadores ingleses encontraram o grupo, debilitado e com muita fome, a 4 km da entrada da caverna e entre 800 m e 1 km de profundidade.

O resgate durou 3 dias. No domingo (8) e na segunda, foram retirados quatro garotos em cada dia. Nesta terça, foram resgatados mais quatro meninos e o técnico.

Cada garoto foi conduzido por pelo menos 2 mergulhadores e usou máscara facial de oxigênio durante o percurso até a entrada da caverna, que dura 6 horas. Vários trechos são muito estreitos, com água turva e baixa visibilidade.

Os resgatados foram levados de helicóptero para hospital, onde vão ficar em quarentena e observação.

Infográfico mostra como foi organizado o resgate de grupo preso em caverna na Tailândia (Foto: Karina Almeida, Juliane Monteiro e Betta Jaworski/G1) Infográfico mostra como foi organizado o resgate de grupo preso em caverna na Tailândia (Foto: Karina Almeida, Juliane Monteiro e Betta Jaworski/G1)

Infográfico mostra como foi organizado o resgate de grupo preso em caverna na Tailândia (Foto: Karina Almeida, Juliane Monteiro e Betta Jaworski/G1)


Comentários

icone Facebook
%d blogueiros gostam disto: