Cabeceira/PI,  13 de dezembro de 2019
 

19 de novembro de 2019 Informações da Postagem: Por Apolo Araújo Imprimir Postagem

Flamengo encanta mais do que seleção brasileira, dizem especialistas

SÃO PAULO – A atuação espetacular do Flamengo diante do Grêmio e o desempenho pífio da seleção brasileira no pós-Copa América deixam no ar uma questão: hoje o Rubro-Negro joga melhor do que a equipe de Tite?

— É difícil de a gente acreditar. Mas se botar ao pé da letra, o Flamengo está jogando mais do que a seleção brasileira. Hoje não seria anormal botar do meio-campo para a frente do Flamengo na seleção — opina Gérson, o Canhotinha de Ouro, craque da seleção de 1970 e comentarista da Rádio Tupi.

— De repente, é mais fácil montar uma seleção brasileira quando tem meio caminho andado. Se vai dar certo ou não, não sei. Mas vale a pena tentar — pede ele, lembrando outros times que serviram de base para a equipe nacional, como o Santos de Pelé e o Botafogo de Mané Garrincha.

Para André Loffredo, comentarista do SporTV, individualmente a seleção brasileira ainda tem valores melhores. Mas o Flamengo joga mais bonito.

— Por que é muito mais interessante ver o Flamengo jogar do que a seleção, mesmo todos nós sendo torcedores do Brasil? Porque existe uma disposição pelo jogo. Acho que isso está encantando no Flamengo. O time não joga de maneira burocrática — afirma Loffredo.

— Na seleção, cada jogador ocupa seu espaço. No Flamengo isso não existe. Do meio-campo para a frente, tirando os dois zagueiros, os jogadores estão livres para se movimentarem para onde acharem que é relevante naquele momento — completa.

Rafael Oliveira, comentarista do DAZN, diz que não é normal um time brasileiro se destacar mais do que a seleção.

— Acredito que é difícil comparar clube e seleção porque os clubes tendem a jogar melhor do que as seleções. Mas isso é um padrão para futebol europeu. Não costuma acontecer aqui, como o Flamengo está fazendo agora — afirma Rafael.

Para quem já exerceu o cargo de treinador, é difícil comparar o trabalho no clube e na seleção. Muricy Ramalho, comentarista do SporTV, lamenta o pouco tempo que o técnico Tite tem para treinar variações táticas do Brasil. Problema que Jorge Jesus não enfrenta.

— Claro, se comparar os últimos jogos, o Flamengo está jogando melhor. Mas a seleção é muito complicada. É diferente do treinador que tem o dia a dia para trabalhar. O Tite quer mudar o esquema da seleção, que já se esgotou. Mas tem muita dificuldade porque não tem tempo de treinamento para isso — diz Muricy.

Independentemente disso, Eugênio Leal, comentarista do Fox Sports, acredita que o trabalho de Jesus está melhor do que o de Tite.

— O Tite, mesmo sendo campeão da Copa América, não conseguiu dar um padrão de jogo como o Flamengo tem. A proposta de jogo do Flamengo é muito mais moderna. Ninguém tem posição muito definida. Arrascaeta e Everton Ribeiro se movimentam muito. O Gerson volta para marcar, mas quando tem a bola, vira coringa. Está em todos os lugares do campo. O time do Tite é estático. Os jogadores não se movimentam muito —analisa.

Flamenguistas na seleção

Na visão dos especialistas, o meia Gerson é o atleta que mais merece uma chance na seleção entre os atletas ainda não convocados pelo técnico Tite.

— O xará está jogando para caramba. Ele é o organizador do meio-campo, e não faz esse toque inútil da maioria dos times brasileiros: toca para o lado, para trás, para o goleiro. Vai fazer outra coisa. Jogar peteca. Mete a porcaria da bola para frente, cara! O Gerson toca para a bola para frente — afirma Gérson, da Rádio Tupi.

Comentarista da ESPN, Leonardo Bertozzi é outro que defende a convocação de Gerson para a seleção.

— O Tite tem dificuldade de encontrar uma dupla sólida como foi Paulinho e Renato Augusto. Ele está sofrendo um pouco. O Arthur está jogando mais avançado no Barcelona. De repente, o Gerson é esse cara — afirma Bertozzi.

Muricy Ramalho, do SporTV, por sua vez, pede uma chance para a dupla Gabigol e Bruno Henrique.

— Os dois são atacantes de movimentação, de muita velocidade. Têm que ser testados juntos — analisa.

Rafael Oliveira, do DAZN, afirma que, em valores individuais, a seleção brasileira ainda é mais forte. Mas os flamenguistas poderiam aparecer na lista de convocados.

— Não vejo os jogadores do Flamengo entrando para serem titulares na seleção. Mas Gabigol, Bruno Henrique, Everton Ribeiro, Rodrigo Caio e Gerson poderiam fazer parte do grupo. O Gerson é uma alternativa interessante em um setor em que o Brasil tem tido dificuldade — afirma.

Fonte: Extra


Comentários

icone Facebook
%d blogueiros gostam disto: