Cabeceira/PI,  1 de dezembro de 2020
 

16 de novembro de 2020 Informações da Postagem: Por Apolo Araújo Imprimir Postagem

Eleições 2020: PF prendeu 13 pessoas no Piauí no dia do pleito

Foram seis detenções em Parnaíba, duas em Teresina e São Lourenço do Piauí e três em Picos. Candidatos foram conduzidos à delegacia.

Polícia Federal divulgou o balanço das ocorrências registradas durante o domingo (15), dia do primeiro turno das eleições municipais em Teresina. Ao todo, 13 pessoas foram conduzidas à delegacia, sendo duas em Teresina, duas em São Lourenço do Piauí, três em Picos e seis em Parnaíba.

Foi em Parnaíba que um candidato a vereador e sua esposa foram detidos portando R$ 41.910,00 em espécie. Segundo a PF, o dinheiro seria usado para a compra de votos de eleitores. Além disso, um veículo foi apreendido com mais de mil “santinhos” (panfletos de candidatos) para serem espalhados pela cidade. Distribuir santinhos no dia do pleito é considerado propaganda irregular e, portanto, crime eleitoral.

Anteriormente, a PF já havia deflagrado algumas ações para coibir a prática de crimes eleitorais. Entre as ações se destacou a prisão e flagrante de uma candidata da vereadora em Geminiano. Ela foi levada até a delegacia da Polícia Federal junto com um assessor para prestar esclarecimentos após ter sido flagrada transportando R$ 4.300,00 em espécie. A candidata acabou sendo liberada após pagamento de fiança.

Houve também a apreensão de R$ 14.500,00 e de material de campanha em Paquetá do Piauí, onde um homem foi pego portando material de propaganda eleitoral de candidatos de Santa Cruz do Piauí. Em Redenção do Gurgueia também houve a condução de um vereador para prestar esclarecimentos após ele ter sido pego portando comprovantes de depósitos bancários e contas de água e luz em nome de terceiros.

Ações em Parnaíba

Um dos principais colégios eleitorais do Piauí, a cidade de Parnaíba também foi alvo de ações planejadas da Polícia Federal para coibir crimes eleitorais. Só na cidade foram instaurados 12 procedimentos comunicados à Justiça Eleitoral, alguns em decorrência de requisição de órgãos como Ministérios Público Estadual e Federal, e outros por iniciativa da própria PF em razão do flagrante de ações criminosas durante o pleito.

“Houve apreensão de recursos, de vasto conteúdo eleitoral de propaganda e de documentos que serão usados como prova no decorrer dos inquéritos”, explicou o delegado Carlos Alberto Ferreira do Nascimento, chefe da Delegacia de Polícia Federal em Parnaíba.

Fonte: O Dia


Comentários

icone Facebook
%d blogueiros gostam disto: